31/01/2011

Água Negra (Dark Water)

Estava eu em mais uma das minhas noites sem sono e me deparei com esse filme na televisão, e resolvi colocar como indicação aqui no Blog; enquanto buscava informações li algumas críticas bombardeando o filme seja pelo remake, seja pela própria história. Assista e deixe seus comentários antes de ler as críticas por ai e tire suas próprias conclusões.
Meu foco ficou na atuação e locação dos cenários, até para aqueles que gostam apenas de filmes de comédia romântica não terão grandes sustos, pois o amor de uma mãe sobressalta qualquer clichê no roteiro. 


Sinopse:
Dahlia Williams (Jennifer Connelly) separou-se recentemente e está tentando começar uma vida nova, se mudando para um novo apartamento e começando a trabalhar em um novo emprego. Dahlia está decidida a pôr um ponto final no relacionamento com seu antigo marido para poder se dedicar a cuidar de Ceci (Ariel Gade), sua filha, mas a separação litigiosa se transforma em uma complicada batalha pela custódia da criança. Para piorar a situação, o apartamento para o qual elas se mudaram possui barulhos misteriosos, vazamentos constantes de uma água negra e alguns fatos estranhos, que dão margem à imaginação de Dahlia. Acreditando que está sendo vítima de um assustador jogo mental, ela tenta juntar as peças do enigma e descobrir o que está acontecendo.


Título original: (Dark Water)
Lançamento: 2005 (EUA)
Direção: Walter Salles
Elenco: Jennifer Connelly, John C. Reilly, Tim Roth, Dougray Scott, Pete Postlethwaite, Ariel Gade, Perla Haney-Jardine, Matthew Lemche, Elina Löwensohn, Camryn Manheim, Debra Monk.
Duração: 105 min
Roteiro: Rafael Yglesias
Produção: Doug Davison, Roy Lee e Bill Mechanic
Estúdio: Touchstone Pictures
Distribuição: Buena Vista Pictures

27/01/2011

Sopro imaginário

Aquele garoto que está no fim da rua parece um sopro
um soprar negro com um fósforo na mão, mas seus vícios eu não sei
longe do rosto, mas perto das mãos
longe do movimento, mas perto e presente no olhar

Desejos e fantasias de esquina, uma encruzilhada perdida na ventania
uma feição de confiança, uma confiança da insegurança
movimento leve e pacificado, uma brisa na escuridão da verdade

Ele precisa de companhia, carinho e sexo seguro, ao vento na vida
a cada passo se lança na segurança da felicidade, lança de momento
num relance do piscar do poste já não vejo a existência de uma chance
era afinal uma história de busca, e aquele garoto era só um sopro gélido..

21/01/2011

Corpo e mente

Corpo: instrumento para puras experiências químicas e físicas dos belos prazeres.
Mente: uma 'coisa' rs dividida em duas partes; uma que age com o corpo e outra 'chata' que esta só pra comentar, acusar e te fazer melhor.. como um velho que acha que sabe de tudo.
Você nunca conseguirá escapar de seus atributos!

Alma: é o que te move, é o que resta no fim.
A ordem dos fatores alteram o resultado..

"Você nunca chegará a 100% se se contentar com 99%."
(À Procura da Felicidade)

20/01/2011

Fim do Calendário Maia



Mas isto não quer dizer, como aventam muitos teóricos do final do mundo, que os maias acreditassem realmente em uma espécie de Apocalipse marcado para este momento. Eles não cultivavam, como dizem alguns estudiosos, uma ideia linear de tempo, portanto não podiam acreditar que, em um determinado ponto da reta, tudo se esgotaria.

Eles viam o tempo como uma sucessão de ciclos, os dos fenômenos naturais, os das concepções de morte-reencarnação, os da sua própria visão temporal. Vários dos ritos maias estavam ligados a esta mentalidade cíclica.

19/01/2011

Quem me dera

Essa grande imaginação de desvendar os pensamentos de grandes pensadores é que fazem com que eles jamais sejam esquecidos, sempre relidos, e de certa forma eternizados ao passar da gerações; quem dera ser assim.. sempre lembrado pelas palavras, quem dera ser também pela entonação da voz pra que possam sentir a emoção e o sentido em duas dimensões.. e pela imagem? eu me pergunto, mas a imagem muda e nunca se sabe em que situação vão querer me ver.

Solidão de passar, emoção de existir, sentimento de lembrança.. mas lembrança é sentido?! quem dera ser sentimento.
Escrever porque isso me desafoga, me deixa perdido nesse mundão de deus.. não me julgue por escrever deus com d minúsculo.. isso muda o sentido?! quem dera que não! quem disse que sim? ahhh
Militar pela liberdade e paz, pelo desejo se deixar ser feliz.. quem dera ter respeito! quem dera ser livre nesse mundão de deus!

Ser transportado para um mundo paralelo talvez me desse, ser levado pela raiz de uma árvore talvez me desse, mudar o mundo talvez me desse, mas quem me dera!

03/01/2011

Seguir o tempo..

Seguir.. porque se sabe que continua;
Seguir.. porque não se para;
Seguir.. porque é a opção.
Ser feliz, aprender e ensinar porque isso é uma missão.


A simplicidade da presença do sentimento que de mim surge é liberada com tal velocidade que na maioria das vezes só o tempo esteve de testemunha, passou, procuro e não o encontro! mais eu sei que ele estava aqui! eu o vi, senti! ou foi só o tempo que por mim passou?

Ano, um espaço de tempo para se contar o passado e determinar o futuro, mais que isso, um espaço para prever a vida e a morte, esta morte que é renovação, pois ciclos não tem início nem fim.

Acho engraçado isso de sub-julgar as palavras e decisões do criador.
Seguir.. porque não há explicação.