26/05/2011

Carente ao natural..

Mesmo sentindo a falta de um abraço todas as noites, de manhã o dia me abraça e toma conta das minhas horas, me sufocando, me quebrando.. nessas horas eu me pergunto se foi essa vida que escolhi.
A preocupação de sempre estar atento me deixa com dores, sem descanso, sem ser outra pessoa. Sempre fui a mesma pessoa, e tantas vezes eu mudei, mas foram as roupas, os lugares.. os ares. Dormir e deixar o tempo passar pode parecer um bom remédio, dizer que não estou; mas eu estou para a vida e nada mudará ao abrir dos olhos.

Sou um carente ao natural, um bruto na vida real..
Eu quero uma vida nova nesta vida, eu quero tanto, tantas coisas, e me faltam tantas, tantas coisas. Um vento me sopra uma melodia alegre que me emociona e mostra a fragilidade do 'besta' que sou; um besta que não tem vocação pra 'otário'.

Um passo para o outro lado, uma porta fechada; um laço do outro lado, uma janela  aberta.
Medir o passo não faz jus ao próximo passo..

"Olhinhos apertados, tristes
Por que vocês estão me olhando?
Sorrindo feito japoninha
Não pode ser só de maldade" (♪ Paixão - Cazuza)
Postar um comentário