12/11/2011

Simples Desejo


Por Rafael Cardoso (@Rafael__Cardoso)

Eu quero a sorte de um amor tranquilamente imprevisível. Alguém que abra a porta e entre sem pedir licença, alguém que não me faça pensar e se fizer que seja em nós! Alguém que me beije ou abrace sem se preocupar se vai ser o melhor beijo ou abraço da minha vida, mas que simplesmente dê esse melhor. Alguém que não me ame mais que tudo, mas que me tenha nos pensamentos, nos sonhos... 


Alguém que não force um sorriso só pra me fazer sorrir, quero algo de verdade. Alguém que me dê atenção, me ensine e me queira bem. Alguém que precise de mim pra que fique tudo perfeito, pra que o dia termine bem. Alguém que segure em minha mão e ande sem um rumo certo, mas que saiba aonde quer ir... E que vá! Alguém que me faça promessas e as cumpra. Alguém que me faça sentir alegria, que me inspire. Alguém que esteja sempre aqui, mesmo que eu não veja. 

Alguém que cuide de mim, que me proteja e me ouça mesmo que não me entenda. Alguém que faça meu coração disparar seja por amor ou por dor. Alguém que me faça rir, que me faça chorar, mas que dê um sorriso junto a mim e enxugue minhas lágrimas. Alguém que não seja perfeito e nem queira chegar próximo à perfeição, mas que seja autentico e imprevisível assim como eu. Alguém que me dê muito, mas não tudo. Alguém que me dê pouco, mas que esse pouco seja só meu. Alguém que me cause insônia, alguém que cante pra que eu consiga dormir. Alguém que me cause desejo, que me cause querer, que me respeite no momento que eu queira estar só. 

Alguém que eu faça voar baixinho, mas que vá longe! Alguém que saia de si, saia do sério, perca o controle, não meça as consequências. Alguém que seja exagerado. Alguém que aguente esse romantismo torto, mas que não necessariamente corresponda da mesma forma. Alguém que ponha juízo em mim, que me queria livre. Alguém que divida sonhos comigo e que me deixe realiza-los, se estiver ao meu alcance, porque eu vou fazer o que for possível e impossível também. Alguém que me transforme. Alguém que não exista, mas me faça acreditar.
Postar um comentário