13/12/2011

Pedras Vermelhas

Eu não sou de correr atrás de ninguém, sou desses que se coloca a frente.. olho no olho.
Mostro meu coração na primeira esquina, jurando anteriormente no caminho que seria diferente desta vez.. não consegui, você olhou para meu coração como se eu mostrasse a pedra que havia naquele percurso.

Sabe.. a vida parece que coloca-me em repouso a cada tombo, já não sei se devo agradecer ou pedir que apresse meus passos, ou os passos de alguém com um bom coração.
Quero o carinho de suas mão como um felino que se aproxima com olhar fixo e dengoso, misterioso, causando dúvidas; dúvidas cessadas pelo contato com minha pele.. estou assim derretido por si, entregando minhas pedras.

É dessa forma que construo minhas pontes, com as pedras vermelhas de vivências que não serão ignoradas, mas curadas com um novo passo, um novo carinho, um nova ilusão ou uma grande paixão.



"Eu quis te conhecer, mas tenho que aceitar
Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
Pode ser cruel a eternidade
Eu ando em frente por sentir vontade
Eu quis te convencer, mas chega de insistir
Caberá ao nosso amor o que há de vir
Pode ser a eternidade má
Caminho em frente pra sentir saudade" (Janta - Marcelo Camelo)
Postar um comentário