18/06/2013

Revolução dos Centavos - 17 de Junho de 2013

"NÃO É PELOS CENTAVOS"
Brasília

Certamente que o dia 17 de junho de 2013 vai ficar na história do Brasil; foi o maior 'grito' dos brasileiros em 20 anos! Enquanto grupos isolados chamam a atenção da mídia para um sensacionalismo sem escrúpulos em que milhares são sujeitos a carregar uma imagem criada "a moda da casa", como já cantou Cazuza: "me chamam de ladrão, de bicha, maconheiro, transformam o pais inteiro num puteiro porque assim se ganha mais dinheiro". Senti orgulho daqueles que carregavam no peito sua pátria amada, por aqueles em que doavam flores enquanto eram sufocados pelos fardados que também são furtados dos direitos pelos quais a maioria esta lutando.

Maceió

Uma das milhares de manifestações com cartazes pela internet.

09/06/2013

Dias Tempestivos e Frios

Em um dia chuvoso a vontade de desistir aumenta consideravelmente, o que há de mal em uma pessoa que nunca desistiu abrir mão uma ou duas vezes?
O mundo em sua massa é insensível, desumano, individualista; seres olhando pela janela de sua casa, vendo o mundo cair em ruínas. Preocupando-se em como fazer o comodo para si. Em alguns existe um ridículo particular, usar um conhecimento e usar para enganar-se.

Se você não for por você, estará perdido, e o mundo continuara o mesmo. Seja você por si e pelo próximo, quem sabe o mundo de alguém comece a mudar. Seja você pelo próximo, você estará perdido mas mudará a vida de alguém.
Aceitar não é fácil, a aceitação é senão mais difícil que o respeito, o respeito pode ser hipócrita, a aceitação esta em si, só depende de nós e não precisa passar necessariamente para o outro. Está no silêncio.

05/06/2013

Nada a Fazer

Um dia eu me peguei pensando em como viver sem seus abraços, hoje eu me pego imaginando seu abraço, estou vivo, é verdade, mas.. mas.. não existe "mas". A gente é tão idiota que fico besta de pensar, viajamos na maionese quando estamos felizes, apaixonados, amando, algumas vezes nem nos damos conta do quanto significa, apenas, estarmos segurando nossas mãos; talvez você nunca tenha si dado conta, você não pagou a conta no final.

Estar assim regado por mim, tentando abstrair que estar carente de ti não é como querer qualquer coisa que vier, mas uma real vontade de que venha algo que valha a pena arriscar, riscar na minha vida a presença e o tempo de sentimentos e emoções sem volta; eu não quero voltar.. quero seguir, sentir o carinho de quem há de vir, de estar em meus olhos, em meu abraço.. num espaço que a vida criou para viver a dois.

Já não tenho muito tempo, agora tenho que ir, o celular me chama.. toca e vibra, exatamente o que falta para mim, para nossa vida quem sabe.