05/06/2013

Nada a Fazer

Um dia eu me peguei pensando em como viver sem seus abraços, hoje eu me pego imaginando seu abraço, estou vivo, é verdade, mas.. mas.. não existe "mas". A gente é tão idiota que fico besta de pensar, viajamos na maionese quando estamos felizes, apaixonados, amando, algumas vezes nem nos damos conta do quanto significa, apenas, estarmos segurando nossas mãos; talvez você nunca tenha si dado conta, você não pagou a conta no final.

Estar assim regado por mim, tentando abstrair que estar carente de ti não é como querer qualquer coisa que vier, mas uma real vontade de que venha algo que valha a pena arriscar, riscar na minha vida a presença e o tempo de sentimentos e emoções sem volta; eu não quero voltar.. quero seguir, sentir o carinho de quem há de vir, de estar em meus olhos, em meu abraço.. num espaço que a vida criou para viver a dois.

Já não tenho muito tempo, agora tenho que ir, o celular me chama.. toca e vibra, exatamente o que falta para mim, para nossa vida quem sabe.
Postar um comentário