24/02/2014

Sem Motivos

Cena do filme "Her"
Poderia descrever os últimos dias e isso não seria muito interessante, normalmente buscamos o que nos deixa confortável, durante essa leitura permaneceriam os problemáticos e os que sentem prazer na dor.. entendi que muitas vezes os olhos dos indivíduos que fitam nossos passos não são tão bons assim, querem buscar algo que nunca tenham visto e talvez despertar uma sensação nova; eis a grande novidade desse mundo, a busca por coisas que nos preencham de um forma nunca vista e nunca alcançada, é uma ilusão criada e alimentada durante todos os momentos em que paramos refletindo sobre a vida.

Não, não me sinto no direito de julgar o que você deva buscar ou tentar viver, sinceramente acho que temos o direito a isso e, sem ser hipócrita, também busco a todo instante um sentido ou uma forma de encontrar na vida aquele ponto, aquela vírgula, aquela frase salvadora ou inebriante.. encontro dois pontos sempre.. talvez medo demais para parar em um ponto final, talvez controlador demais para ter uma reticências colocando reflexões onde talvez não devam existir. Como sempre posso não descrever momentos, mas nunca escaparei dos meus sentimentos.

Gostaria de chorar com mais frequência, verdade, dizem que alivia a carga, dizem que cura.. mas o que ha de errado em mim? esse sou eu, esse ser mutável, chato, que espera ser o melhor para alguém que nunca vai chegar; como tenho certeza? crio expectativas demais e esse talvez seja um motivo para acreditar nisso. Existe uma linha tênue entre estar bem e ser feliz.. sempre vou estar bem, exitem momentos de felicidade para me deixarem bem, vão existir motivos para estar bem; ser feliz talvez seja minha utopia. Uso muito "talvez" e isso talvez (rs) descreva minha insegurança em estar tão seguro.. minha completa loucura e sanidade na esperança de estar errado em um determinado dia da minha existência.
Postar um comentário