18/12/2014

Berço Sensorial

Eu tentava imaginar um fim sem encontro, eu tentava acabar com o que nunca começou e fui perfurando todo o caminho sem conseguir acabar com a estrada que me levava a encontrar a infinita imagem sensorial, transcendental de tudo que sempre quis na curta passagem de minha vida.

Eram olhos que os colocaria dentro de um espelho para me encontrar sempre que eu olhasse para mim; ficaria tão parado e contemplativo quanto narciso sobre as águas.
É o aroma da brisa em felicidade, o toque suave do vento sobre a plantação de arroz, o ar quente do balão no arrebol.. tentei colocar em meus braços e segurar numa finda fração de tempo o que me leva a continuar a andar na saudade da beleza já conhecida e que me prendeu pela alma.

A vida é um mistério e viver a leve impressão do conhecimento escondido que é revelado pelos dias. Eu tentava acabar e hoje percorro o recomeço de tudo. Encontrar a vida é o anseio da própria vida.

Pintura: Duy Huynh