23/06/2011

Fonte Imponente

Escrevo para não explodir, aprendi que tudo passa, que até minha vida passará; nem ser tão frágil consigo ser, e as lágrimas que não aparecem derramam-se por dentro, dissolve meu sangue e mostra-me assim que eu sou uma poça sem fim.

Ser perfeito seria bênção demais para uma pessoa tão imperfeita, a escolha de qual face verás em mim é uma questão de escolha e paciência; se sentir sozinho doí muito, muito mais não se sentir feliz; minhas palavras não são em si reclamações, mas uma pressão que escapa para me encarar e em uma outra hora acreditar que posso melhorar, que vale a pena seguir em frente.

Me calar ainda é o melhor remédio, fazer-me falar é como cutucar um animal selvagem que cuida de sua cria.
Falo com os olhos, eu ajo com uma pérola negra pelo qual sou apaixonado; vês o que vejo?

Penso cada vez mais na próxima ação, numa forma de derramar este rio que corre em mim, que dá vida e me tira a vida, nascente da qual pedras altas e imponentes a cercam, aventura para grandes..
Hoje dormirei sereno, única fonte de serenidade que conheço..



"Mas eu ateei fogo à chuva,Vi a chuva cair enquanto eu tocava seu rosto,Bem, o fogo queimava enquanto eu chorava,Porque eu ouvi gritar seu nome, seu nome"

(Set fire to the rain - Adele ♫♪)
Postar um comentário