23/02/2012

O Sol em uma Montanha Russa

O que devo pensar eu já nem sei, é como querer segurar um mundo que não é meu e não ter forças para isso; alguns diriam que preciso de ajuda, outros que devo segurar apenas o meu.

Logo que saio todos os dias de casa olho para o céu, seja receio pela chuva na ida ou simplesmente para ver que dia lindo eu tenho; ando nas ruas olhando para os lados seja para paquerar ou por morar na cidade mais violenta do país. Tantas coisas para se ver ou se preocupar e o que mais me atormenta é algo que vem de dentro, são sentimentos com carinhos e explosivos, tudo depende da velocidade de minha língua.

Olho no espelho e brigo comigo mesmo, para parar com as manias, para mostrar que posso aprender com meus erros, para poder erguer a cabeça e fazer sempre melhor; parece mera filosofia, mera ação.. mera ação e forma de pensar que faz toda a diferença, faz quem sou.

As horas foram imbatíveis, logo se passou, mais uma vez estava eu com meus pensamentos e percepções.

Ter um bom coração e atenção para o brilho dos meus olhos; beijos e abraços para meus sorrisos e gemidos; sermos um só para manter-me vivo.
Postar um comentário